VINGATIVOS ZÉ INÁCIO E MÁRCIO JARDIM ANTECIPAM 2022 E SE SUBMETEM A VONTADE DE WEVERTON ROCHA CONTRA CRESCIMENTO DO PT NA CAPITAL


Afundado em disputas internas e no debate sobre como salvar o que restou do partido depois do impeachment de Dilma Rousseff, da Operação Lava Jato e da derrota nas eleições de 2018, o PT tem demonstrado uma espécie de letargia na busca de recuperar os espaços perdidos.

O episódio envolvendo o cancelamento do Encontro Municipal de São Luís, que ocorreria neste final de semana para decidir os rumos que os petistas iriam tomar nas eleições deste ano, evidenciou o descompasso e a falta de unidade no PT. 

Por determinação do Diretório Nacional, o cancelamento foi comemorado internamente, principalmente, por dois petistas com "múltiplos interesses contrariados": Márcio Jardim e Zé Inácio, sendo remarcado para o próximo sábado (08) e domingo (09).

O primeiro que não nega pra ninguém sua mágoa com o governador Flávio Dino pela forma em que foi desligado da Secretaria de Esportes, colocando em cheque a capacidade administra. Márcio vem sendo usado pelo senador Weverton Rocha (PDT) para defender candidatura própria, a fim de evitar a aliança do PT com o PCdoB. 

O segundo, por sua vez também, por magoa com o chefe do executivo estadual, tenta a todo custo emplacar a própria candidatura, mesmo sem ter densidade de votos internamente e na própria capital. Além da mágoa, a intenção do deputado petista é chamar atenção e tensionar, com intuito de garantir apoio para a eleição de sua esposa na cidade de Itinga do Maranhão, a ex deputada e ex-prefeita- Vete Botelho.