Trump mostra sua verdadeira face a Bolsonaro


No dia de hoje Donald Trump mostrou a sua verdadeira face para o Brasil e Argentina, ao ver que o Brasil não está interferindo no preço do dólar e consequentemente os produtos brasileiros passaram a ser mais procurados, consequentemente importados pelos EUA, o pseudo liberal, mostrou sua face imperialista, fazendo uma ameaça clara ao Brasil, demonstrando profunda falta de respeito a nossa nação.

O cômico de sua declaração é que ele ameaçou retornar com uma taxação que ele jamais retirou dos produtos brasileiros. Além disso o governo americano subsidia diversos produtores, proporcionando uma concorrência desleal. Há anos os EUA trata o Brasil com desprezo e de uma forma extremamente extrativista, usando de sua força política e financeira para atacar o nosso mercado, mas quando o Brasil se torna competitivo os amercianos criam uma forma de taxar nossos produtos para que seja inviável a sua importação. Enquanto isso desde que assumiu Bolsonaro "abre as pernas" do Barsil, dando de graça ou a preço de banana empresas como a EMBRAER, cede espaço estratégico (base de Alcântara), destrói a trigocultura brasileira para benefício da americana, não satisfeito com tantas vantagens e a postura serviçal do presidente Bolsonaro, Trump ainda quer mais e reclama quando nossa indústria ameaça recuperação, que Bolsonaro aprenda o mais rápido possível a importância da reprocidade.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou na manhã desta segunda-feira, 2, no Twitter, que vai retomar as tarifas sobre aço e alumínio vindos de Brasil e Argentina. O republicano afirmou que a medida será tomada por causa da desvalorização das moedas dos dois países sul-americanos em relação ao dólar.

“Brasil e Argentina estão promovendo uma desvalorização massiva de suas moedas, o que é ruim para os nossos fazendeiros. Portanto, tendo efeito imediato, eu vou restaurar as tarifas sobre aço e alumínio que são importados aos Estados Unidos desses países”, escreveu Trump na rede social.

O presidente americano ainda cobrou que o Federal Reserve, o banco central do país, tome medidas semelhantes para que, nas palavras dele, “países não tirem vantagem do dólar forte para desvalorizar ainda mais suas moedas”. “Isso torna muito difícil para os nossos produtores e fazendeiros exportar as suas mercadorias de forma justa.”

Trump não deu mais detalhes da medida. Em março de 2018, o republicano anunciou sobretaxas de 25% sobre aço e 10% sobre alumínio de diversos países – incluindo o Brasil – para proteger a indústria americana do que ele considerava “comércio injusto” com outras nações. Em agosto do mesmo ano, o Brasil foi beneficiado por uma decisão que flexibilizou a tarifa, liberando da taxa as empresas que comprovassem falta de matéria-prima no mercado interno.