Evo Morales, renunciei para não ser preso ou morto!


"Renuncio a meu cargo de presidente para que (Carlos) Mesa e (Luis Fernando) Camacho não continuem perseguindo dirigentes sociais", disse Morales em discurso transmitido pele TV

"Não sei como podem usar a Bíblia para maltratar famílias. Mesa e Camacho não façam isso. Isso é desumano", prosseguiu. 

"Não roubamos ninguém. Se alguém tem uma prova de roubo que apresente." Minha renúncia não é nenhuma traição. A luta continua! Estamos deixando uma nova Bolívia livre e em processo de desenvolvimento. Vamos continuar junto ao povo", afirmou Morales

O governo da Bolívia ficou acéfalo hoje após a renúncia do presidente Evo Morales e das demais autoridades que formavam a linha de sucessão constitucional. A Constituição boliviana estabelece que a sucessão começa com o vice-presidente, depois passa ao titular do Senado, seguida pelo titular da Câmara dos Deputados, mas todos renunciaram. A renúncia do vice-presidente Álvaro García, da presidente do Senado, Adriana Salvatierra, e do titular da Câmara dos Deputados, Víctor Borda, provocou um vazio de poder no país.

Especialista mundiais afirmava que a Bolívia caminha para uma nova ditadura militar, uma guerra civil e em última hipótese "NOVAS ELEIÇÕES DEMOCRÁTICAS" desde que não participem delas aliados de Evo Morales, o que em si já trás uma  "SOMBRA" ao processo e fere gravimente o "PRINCÍPIO DEMOCRÁTICO".

Em outro pronunciamento Evo Morales diz que foi vítima de GOLPE!

"Eu denuncio ao mundo e ao povo boliviano que um policial anunciou publicamente que ele foi instruído a executar um mandado de prisão ilegal contra mim; da mesma forma, grupos violentos assaltaram minha casa. Os golpistas destroem o estado de direito", escreveu o ex-presidente

Em tom de comemoração, o líder opositor Luis Fernando Camacho também comentou a situação no Twitter. "A polícia e os militares estão procurando por ele no Chapare, lugar onde se escondeu. Os militares lhe tiraram o avião presidencial."

A ex-presidente do Supremo Tribunal Eleitoral da Bolívia, Maria Eugenia Choque Quispe, foi presa na noite deste domingo (10) e exibida com algemas pela polícia numa entrevista coletiva.

"Queremos anunciar que, graças a um trabalho minucioso da polícia boliviana, se conseguiu a detenção da presidente do Tribunal Supremo Eleitoral, María Eugenia Choque", disse o comandante geral da polícia, Vladimir Yuri Calderón.

Este gesto foi entendido como uma ameaça direta aos demais dirigentes Bolivianos, que agora dizem que renunciaram para não serem presos ou mortos, que tudo se tratou de um  GOLPE MILITAR apoiado pelos opositores derrotados nas eleições recentes do país!