Ernesto Araujo, um desastre diplomático?


Do Valor Econômico

Uma sequência de tuítes de Paula Español, conselheira econômica do presidente eleito Alberto Fernández e cotada como futura secretária de Comércio Exterior da Argentina, deixou o chanceler brasileiro Ernesto Araújo ainda mais temeroso do que vem pela frente no Mercosul.

Em postagens, Paula elogia o comércio administrado, remetendo às medidas protecionistas tomadas pelo governo de Cristina Kirchner (2007-2015). Diz que a inserção argentina no mundo deve ser feita sem dogmatismos, condena um suposto fetiche pela abertura comercial e critica o acordo União Europeia-Mercosul. Em outras postagens, comemora “Lula Livre” e lamenta “golpe de Estado” na Bolívia.

Em conversa com Valor , na sexta-feira (22 de novembro), Araújo disse que o governo Jair Bolsonaro em nenhum momento foi procurado por Fernández ou qualquer auxiliar do presidente eleito e nem procurou. 

“Estamos nos preparando para diferentes cenários”.

Um dos cenários, admite, é a ruptura no Mercosul. Está longe de ser o plano A, aponta o ministro,

 “mas aparentemente há na Argentina uma visão profunda que vai contra os postulados básicos do Mercosul”.