Continua a troca de acusações entre Aluísio Mendes e Jefferson Portela


A Comissão de Segurança Pública está em São Luís para ouvir o ex-delegado Tiago Bardal e o delegado Ney Anderson Gaspar que denunciaram Jefferson Portela sobre escutas e grampos ilegais. 

Todas as partes envolvidas foram ouvidas pelo JM1 da TV Mirante, afiliada da Rede Globo, veja o que cada um falou na entrevista.

Ney Anderson disse:
-"A verdade aparecerá, doa a quem doer, que contra fatos não existem argumentos, re-afirmando que o Secretário de Segurança Pública ordenou grampos eletrônicos ilegais e que colocou escutas clandestinas"

O Deputado Aluísio Mendes disse:
-"A Comissão de Segurança Pública está no Maranhão para apurar a verdade, que já ocorreram casos semelhantes em outros Estados, então cabe a comissão ivestigar e ver a veracidade dos fatos."

Já o Secretário de Segurança Pública do Estado do Maranhão disse:
sobre Badal e Ney Andersom "Afirmo que são integrantes de uma organização criminosa com apoio expresso do Dep. Aluísio Mendes e ele que tem de se explicar porque está dando guarida para criminosos."
sobre os grampos clandestinos " Não há fato velho ou fato novo. Há uma ventilação de que houve um grampo ilegal em telefones de juízes e desembargadores, eles já foram ouvidos em 3 instâncias e nós nunca fomos ouvidos."

O secretário Jefferson Portela ainda disse que jamais deram 1 número sequer que tenha sido grampeado ilegalmente, e que fica um cenário bancado pelo Dep. Aluísio Mendes, alegou que jamais tiveram oportunidade de se manifestarem, mas no entanto os acusadores já foram ouvidos em 3 oportunidades.

Por outro lado o Dep. Aluísio Mendes disse que agentes da polícia Federal acompanharam os depoimentos, e não descarta acionar o Ministério Público Federal e "FEDERALIZAR O PROCESSO". Em contrapartida Jefersson Portela disse que ele sim irá federalizar uma denúncia contra o Deputado Aluísio.

Nesta troca de acusações de todos os lados, os fatos concretos que pouco se avançou, nenhum fato novo surgiu a tona e não temos conhecimento de provas materiais que sustentem a acusação além dos depoimentos do preso de justiça, ex-delegado Tiago Bardal e do delegado licenciado Ney Anderson. Torcemos para que a verdade apareça, que o direito a ampla defesa seja respeitado e que o interesse público prevaleça ao político.


Veja as entrevistas na íntegra no link https://globoplay.globo.com/v/8071743/