Bolsonaro diz que Witzel usa a polícia civil do RJ para tentar acabar com a sua família!


O presidente Jair Bolsonaro afirmou na tarde desta 5ª feira (21.nov.2019) que o governador do Rio, Wilson Witzel (PSC), “botou na cabeça que tinha que destruir a família Bolsonaro”. Para isso, disse o presidente, “usa a Polícia Civil” do Estado para vinculá-lo ao assassinato da vereadora Marielle Franco (Psol-RJ) e de seu motorista Anderson Gomes.

Bolsonaro falou que Witzel “vinha manipulando o processo”, que corre em segredo de Justiça. De acordo com o presidente, Witzel o avisou sobre a subida do caso para o STF (Supremo Tribunal Federal) a partir da aparição do nome dele.

O presidente disse que, agora, o alvo é seu filho Carlos Bolsonaro, que é vereador no Rio de Janeiro e tinha gabinete ao lado de Marielle na Câmara Municipal. Carlos e Marielle teriam discutido na véspera da execução do crime. Bolsonaro falou que “todo mundo já discutiu na política” em algum momento.

“Qual a ideia? Fazer valer a narrativa da TV Globo. Deixo bem claro aqui: quando meu avião decolou para o Japão, juntei todo mundo e falei que durante a minha viagem a TV Globo vai divulgar o Caso Marielle Franco. Aconteceu no penúltimo dia. Consegui fazer uma live imediatamente. E a Globo começa dizendo que eu estava em Brasília. Isso não é uma boa pauta. Isso é uma pauta que não tem que ser divulgada”, afirmou.

De acordo com Bolsonaro, o pano de fundo para o governador Wilson Witzel tentar destruir sua família é a pretensão de ser presidente da República. “Dizem até ele que usa a faixa presidencial em seu gabinete”, falou.

As declarações do presidente foram feitas em discurso durante o lançamento do Aliança pelo Brasil, partido que ele criou. O evento foi realizado no Royal Tulip, em Brasília –perto do Palácio da Alvorada, residência oficial da Presidência da República. Só 17 jornalistas foram convidados a entrar no salão do evento. A maior parte da imprensa foi destinada ao gramado externo, sob o sol, onde estava instalado 1 telão.