Bolsonaro corre em repudiar invasão a embaixada da Venezuela depois de declaração irresponsável de seu filho Eduardo


O presidente Bolsonaro por meio de NOTA OFICIAL contrariando declaração de seu filho Eduardo Bolsonaro, REPUDIOU A INVASÃO A EMBAIXADA BRASILEIRA!

O Gabinete de Segurança Institucional (GSI) da Presidência da República chamou de "invasão" a ocupação da Embaixada da Venezuela em Brasília por partidários do líder opositor venezuelano Juan Guaidó . No comunicado, o órgão também classificou de "inescrupulosos e levianos" aqueles que divulgam informações de que o governo brasileiro teria apoiado a invasão.

Segundo O Globo, Bolsonaro teria declarado:

"Como sempre, há indivíduos inescrupulosos e levianos que querem tirar proveito dos acontecimentos para gerar desordem e instabilidade. O Presidente da República jamais tomou conhecimento e, muito menos, incentivou a invasão da Embaixada da Venezuela, por partidários do sr. Juan Guaidó", diz um trecho da nota.

Pouco depois da divulgação da nota do GSI, o presidente Jair Bolsonaro usou o seu perfil no Facebook para repudiar a invasão da representação diplomática "por pessoas estranhas à mesma". "Já tomamos as medidas necessárias para resguardar a ordem, em conformidade com a Convenção de Viena sobre Relações Diplomáticas", escreveu o presidente.

Mais cedo, o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) havia tuitado em favor da ocupação, dizendo que "ao que parece está sendo feito o certo, o justo", já que o Brasil reconhecera Guaidó como presidente interino da Venezuela. Ele também disse ao GLOBO que iria à embaixada  para dar apoio aos partidários de Guaidó.
Saiba mais em: https://www.maranhaonoticia.com.br/not%C3%ADcias/declara%C3%A7%C3%A3o-irrespons%C3%81vel-de-eduardo-bolsonaro-coloca-em-risco-a-vida-de-brasileiros 

Segundo o GSI, as forças de segurança tanto da União quanto do Distrito Federal estão tomando providências para que a situação se resolva pacificamente e retorne à normalidade. O batalhão Rio Branco, da Polícia Militar, está no local, mas não pode entrar na embaixada, que, pelas normas internacionais, é território estrangeiro.

De nossa parte registramos que o CERTO é o presidente se fazer cumprir a Convenção de Viena de 1961, e parabenizamos a sua imediata posição neste sentido, quando a Eduardo Bolsonaro além de infeliz a sua declaração é irresponsável e ele deveria ser afastado o quanto antes da presidência das relações exteriores da Câmara por profunda falta de capacidade técnica e intelectual para exercer tão importante função, trata-se de um desastre ambulante e uma vergonha para o país suas frequentes declarações preciptadas e equivocadas para se dizer o mínimo.