Bancada Maranhense comemora aprovação do AST


Base de lançamento de  foguetes de Alcântara

A base de Alcântara está localizada em posição estratégica para lançamento de foguetes, devido a sua localização privilegiada a economia nos lançamentos é absurda, e as grandes potências mundiais sempre tiveram interesse em utilizá-la, mas os governos anteriores seja por falta de interesse, habilidade de negociação ou convicções ideológicas, nunca permitiram acordos de utilização alegando que não haveriam sido oferecidas contrapartidas a altura do benefício. O fato é que desde que Bolsonaro assumiu Trump quer utilizá-la, e agora os EUA está muito próximo de conseguir seu objetivo e praticamente de graça, os mais críticos ao acordo dizem que os EUA faturarão milhões enquanto o Brasil colherá algumas pencas de banana e problemas.

Bira do Pindaré, o único da bancada maranhense que votou contra o AST

Apesar de PT, PSOL e PSB tentarem de todas as formas obstruirem a votação e lutarem com grande esforço e uso da tribuna na Câmara Federal, o Decreto Legislativo 523 que trata do Acordo de Salvaguardas Tecnológicas foi aprovado com grande maioria e inclusive com a maioria da Bancada Maranhense, aonde apenas Bira do Pindaré se manifestou em contrário.

Uma das fortes alegações daqueles que foram contrários a aprovação do DECRETO 523 é no que tange as comunidades quilombolas que há séculos vivem ali, segundo levantamento de entidades não-governamentais cerca de 2000 pessoas serão literalmente EXPULSAS de suas casas.

O medo dessas ONG's é que essas comunidades se dissolvam, e que sua cultura e história se percam para sempre. Movimentos Negros organizados prometem lutar até o fim pelos direitos dos quilombolas e devem ingressar na justiça, mas dificilmente obterão êxito afinal o DECRETO 523 foi aprovado em 2 comissões na Câmara Federal a CREDN - COMISSÃO DE RELAÇÕES EXTERIORES E DEFESA NACIONAL e a COMISSÃO DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA, CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA.

Já a bancada maranhense que comemorou como se fosse um gol do Barsil a aprovação do AST, justifica seu empenho e alegria alegando que o AST trará grande desenvolvimento para o Estado, gerando milhares de postos de trabalho e riquezas, não sabemos a que custo. Até agora em nenhum momento foram tratadas as questões referentes as milhares de pessoas que serão despejadas, o DECRETO é totalmente OMISSO quanto a isso, não sabemos a quem caberá as indenizações e nem se elas serão feitas. A verdade é que milhares de pessoas serão expulsas de suas casas e os parlamentares parecem não se preocuparem com isso. 

E as perguntas que não querem calar são:

"Quanto vale uma vida humana diante do desenvolvimento? Quanto vale uma cultura secular diante desse futuro promissor?  Será que existe mesmo futuro promissor quando se sacrificam vidas, cultura e história?"

De forma alguma somos contra o desenvolvimento, a geração de empregos, muito menos contra a ciência e tecnologia, desde que ele se dê de forma SUSTENTÁVEL E HUMANA, o sr humano, o bem estar coletivo sempre devem ser o centro das atenções e jamais questões secundárias ou de menor importância. O fatorverdade quer com essa matéria dar voz a essas milhares de pessoas que serão expulsas de suas casas, dos quilombolas que serão destruídos e a possibilidade real de uma cultura secular desaparecer. Nossa revista digital tem o objetivo de levar informação isenta e de qualidade a população, sem bandeiras, sem partidos ou interesses, apenas a busca pela verdade dos fatos e entregá-los aos nossos leitores de forma honesta e isenta.