EUA são “farol” para o Ocidente, e relação prossegue, diz Mourão sobre posse


O vice-presidente, general Hamilton Mourão, disse nesta 4ª feira (20.jan.2021) que a relação entre o Brasil e os Estados Unidos permanecerá sem alterações significativas durante o governo do presidente Joe Biden. A declaração foi feita minutos depois da posse do democrata no Capitólio.

“A relação Brasil-EUA vem desde o período da nossa independência, é uma relação de Estado para Estado e dessa maneira vai continuar”, disse a jornalistas ao chegar à sede da vice-presidência, no Palácio do Planalto.

Segundo Mourão, os EUA são um “farol” para o Ocidente. “É um parceiro comercial e tecnológico importante, e sempre colocando que os EUA, o modelo democrático americano, é um farol para o mundo Ocidental. Dessa forma, ela [relação Brasil-EUA] vai prosseguir”, disse.

Mourão foi questionado sobre as negociações do Brasil com a Índia e com a China para a importação de insumos e vacinas contra a covid-19. Disse que existe uma “corrida para a vacina” e que o Brasil deverá usar as “armas da diplomacia” para conseguir os imunizantes.

“Vamos procurar, usando a diplomacia, o relacionamento. Hoje o assunto está na mão do Ministério das Relações Exteriores para que se consiga que tanto o governo da Índia como o governo da China acelere a produção nas suas fábricas”, disse.

O vice-presidente afirmou que, se o plano for seguido e os insumos forem recebidos, o Brasil deverá ter até fevereiro 6 milhões de vacinados. “Então estaremos bem colocados nessa corrida. A partir daí é entrar no ‘modo on’ de produção de vacinas, com a chegada dos insumos e, consequentemente, os 2 centros de produção, Butantan e Fiocruz. E aí vamos atingir aquele objetivo de chegar a 70% da população vacinada [até o fim de 2021]”, declarou.

Para Mourão, o Itamaraty está fazendo sinalizações a China para a importação dos insumos da CoronaVac. “O ministro Ernesto já enviou uma carta para o ministro das Relações Exteriores chinês. Isso foi feito via nossa embaixada na China. De acordo com os dados que eu sei, há um movimento, não vou falar de simpatia, mas positivo para que as conversações avancem”, disse.

GOVERNADORES PRECIONAM

Nesta 4ª feira (20.jan.2021), governadores enviaram ofício ao presidente Jair Bolsonaro no qual pediram ao chefe do Executivo e ao Ministério das Relações Exteriores para que busquem um “diálogo diplomático” com a China e a Índia, países fornecedores de insumos para fabricação de vacinas contra covid-19.

A medida visa a acelerar a produção de vacinas no Brasil, que estão sob coordenação do Instituto Butantan, no caso da CoronaVac, e da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), que produzirá doses da vacina AstraZeneca/Oxford. Os 2 imunizantes tiveram autorização da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) para uso emergencial.